Arquivos da categoria: dança de salão

Dançar pode prevenir envelhecimento do cérebro e Alzheimer, diz pesquisa

Aulas de Dança de Salão

Um novo estudo mostrou que dançar pode ajudar pessoas mais velhas a reverter sinais de envelhecimento no cérebro. A atividade também pode contribuir no tratamento e prevenção de Alzheimer.

Publicada no periódico Frontiers in Human Neuroscience, a pesquisa foi feita por cientistas do Centro Alemão para Doenças Neurodegenerativas de Magdeburgo.

Ao todo, 26 idosos participaram da análise. Eles foram dividos em dois grupos: o de dança, com 14 participantes que tinham uma média de idade de 67 anos. E a turma que fazia exercícios de resistência e flexibilidade, com 12 pessoas, sendo que a idade média foi de 69 anos.

Durante 18 meses, os idosos tiveram rotinas de atividades físicas. O resultado do estudo apontou que ambos grupos demonstrara melhora no funcionamento do hipocampo — região relacionada a doenças, como o Alzheimer, pois é ‘sede’ da memória e do equilíbrio do corpo humano.

Entretanto, somente a turma de dança apresentou aumento significativo na melhora do equilíbrio. Para os pesquisadores, isso está relacionado aos movimentos dançantes.

“Nós tentamos oferecer aos idosos do grupo de dança uma constante mudança na rotina com diferentes gêneros músicas (jazz, música latina e line dance)”, disse em comunicado Kathrin Rehfeld, autora do diagnóstico.

“Passos, movimentos com os braços, formações, velocidade e ritmo eram trocados a cada duas semanas para mantê-los no processo de aprendizado”, explicou. “O aspecto mais desafiador para eles foi lembrar das aulas sob pressão do tempo e sem nenhuma dica do instrutor.”

Com o estudo, a equipe agora quer desenvolver novos programas de exercícios para ajudar a prevenir o declínio de funções mentais provocados pelo envelhecimento.

(Com informações de IFL Science)

 

O que dançar traz de bom para a vida?

o-que-dancar-traz-de-bom-para-a-vidaPor Flavia Paradela

Antes de elaborar qualquer alfabeto escrito, o ser humano dispunha de uma complexa ferramenta, porém de infinitas possibilidades de expressão: o corpo.
Usando a emissão de sons guturais ou monossilábicos, explorando seu gestual de forma espontânea ou codificada, os primeiros habitantes da Terra buscaram comunicação entre si e com o Incognoscível.

Dançar para conseguir a caça (o alimento), dançar para os deuses e deusas da natureza, dançar para a procriação, dançar para a guerra, para comemorar a colheita.
Assim como criaram utensílios que facilitassem as atividades diárias, hoje recebendo a denominação de objeto de arte nos museus, a dança era parte integrante da vida nos primeiros tempos, antes de ser projetada para espaços específicos para sua apreciação.

dançarOnde foi que perdemos a conexão com o nosso corpo e com o movimento inerente a ele?

Uma das explicações pode estar em quando o homem deixa o nomadismo para fixar-se em lugares onde possa cultivar ou extrair algo, criando sua prole, listando agregados, e assim elaborando ações que organizem estes pequenos grupos que aí se formam, já esboçando o que entenderíamos como sociedade posteriormente.

Na Grécia, berço de muitas ideias que temos permeado em nosso tempo desde então, surge o conceito de sociedade, com leis que determinam quem é cidadão, seus direitos e deveres, qual a posição de cada elemento neste contexto e suas funções.

No início tínhamos o comando das tribos através do matriarcado, onde respeito e sabedoria eram recebidos com reverência e não aceitos através do medo, injetado com a ocupação pelo patriarcado.

No matriarcado, a ideia de união do masculino e feminino em cada ser era algo natural, enquanto no patriarcado é feito um corte, soterrando o culto à Grande Deusa e todos os rituais (incluindo a dança como forma de oração) a ela relacionados, segregando estas partes, que por si só são inseparáveis.

Hoje, apesar de ainda vivermos tantas formas de preconceito, há uma abertura de consciência entre homens e mulheres, mesmo que tardiamente, onde se permitem vivenciar seu gesto, corpo, movimento nas mais variadas modalidades de dança existentes.

Deixando um pouco de lado a busca estética da dança, que se conquista através de maior disponibilidade de tempo para treino contínuo, o ato de dançar contribui para um movimento energético interno, fazendo circular o que estava parado, aumentando o fluxo de respiração, oxigenação do cérebro, ligações sinápticas, propiciando um mover-se mais fluído, pensamentos mais claros, coerência entre mente e gesto.

balletDançar provoca ainda um olhar mais atento para tudo ao nosso redor, assim como o que nos acomete pelo lado de dentro: onde estão os pontos fracos e fortes, onde há maior rigidez ou flexibilidade, quais canais de percepção atuantes, o que de ambos os lados (dentro e fora de mim) se repelem ou se aproximam e que são combustíveis para o agir ou não-agir.

 

Dançar propicia a integração. O eu comigo mesmo, o eu com o outro, o eu com o mundo.

Somos todos, peças de uma mesma engrenagem, que está em constante movimento e sempre faz a cada um o convite de permitirmo-nos as infinitas possibilidades que a vida oferece a cada instante.

Estagnação foi um conceito criado e cultuado pelo homem, porém, o Universo cria sua própria dança sempre que o movimento se faz necessário.

Reconhecer que há em si a porção masculina e feminina, cada um com as atribuições que lhe são específicas, porém complementares, é parte deste processo de integração.

Aproximar mente-corpo-espírito é unir elos fundamentais para uma vida criativa, próspera, equilibrada, e a dança nos dá este caminho.

Sabe aquela música que quando vocês ouvem sempre uma parte do seu corpo se manifesta, convidando-o a dançar? Pois então! Coloque-a em alto e bom som (mesmo que com fones de ouvido para não perturbar o vizinho) e ponha-se à mexer, sem se importar com considerações de qualquer natureza.

O melhor de tudo será a sensação de alegria e bem estar que isto trará a você!

Dance por qualquer razão, pois o corpo não cria distinção ao expressar-se, e sim viabiliza a inclusão do que faz uma totalidade.

Por Equipe Instituto Biosegredo

Fonte: http://horoscopovirtual.uol.com.br/artigos/o-que-dancar-traz-de-bom-para-a-vida

Top 10 filmes sobre dança

mosaico-filmes-danca

Há filmes que mexem conosco e há filmes que mexem conosco literalmente! A magia da dança sempre contagiou os realizadores de Hollywood, que não se cansaram de produzir histórias dançantes com atores naturalmente talentosos e outros que tiveram de aprender a dançar para nos mostrarem o que valem e que,  não se saíram nada mal.

1. Saturday Night Fever – “Febre de Sábado à Noite” (1977)

saturday-night-fever John Travolta, no papel de Tony Manero é um mecânico que se transforma em um dançarino aplaudido, nas fervorosas noites de sábado nos loucos anos 70. Claro que uma pista de dança não está completa sem um par, por isso, Tony conhece Stephanie (Karen Lynn Gorney) e juntos competem numa prova de dança, apoiando-se mutuamente para que possam perseguir os seus sonhos, tanto dentro como fora das discotecas. Numa época em que reinava o poliéster, as calças  boca-de-sino e as bolas espelhadas, ainda há muito para se aprender.

2. Flashdance (1983)

flashdanceO clássico de todos os clássicos e um fiel retrato dos anos 80, Flashdance conta a história da Alex Owens (Jennifer Beals), uma mulher que de dia trabalha como soldadora e à noite é dançarina, enquanto sonha conseguir um lugar numa prestigiada companhia de dança. Motivada pelo seu chefe/namorado, Nick Hurley (Michael Nouri), Alex dança até não poder mais, até concretizar o seu sonho.

3. Strictly Ballroom (1992)

strictly-ballroomSe você adora danças de salão, este filme é para você. Não falta nada nesta comédia romântica australiana – desde roupas e sapatos fantásticos, a coreografias cativantes  – onde o dançarino profissional Scott Hastings (Paul Mercurio) e a sua aprendiza Fran (Tara Morice) ousam desafiar todas as convenções das tradicionais danças de salão.

4. Dirty Dancing (1997)

dirty-dancingUm clássico que dispensa apresentações, ao som da música e com a paixão pela arte de dançar a correr-lhes pelas veias, Francis “Baby” Houseman (Jennifer Grey) e Johnny Castle (Patrick Swayze) sabem o que estão a fazer e querem que o mundo saiba. Francis é uma jovem proveniente de uma família prestigiada que se apaixona pelo seu instrutor de dança, Johnny, num campo de férias. O resto, como se costuma dizer, é dança

5. Dance With Me (1998)

dance-with-meNum filme romanticamente latino, não podia faltar uma boa dose de dança sensual. Com a morte da mãe, o cubano Rafael parte para Houston em busca do seu pai, John, que desconhece a sua existência. John é dono de um estúdio de dança que fervilha com a excitação e os preparativos em torno de um campeonato que vai decorrer em Las Vegas. E como filho de peixe sabe nadar, Rafael mostra que nasceu para dançar, lado a lado com a estrela do estúdio Ruby, protagonizada pela bela Vanessa Williams. Com muitos ensaios, vários estilos e coreografias espetaculares, este é o filme que o vai levar a inscrever-se finalmente em aulas de dança.

6. Center Stage (2000)

center-stageNo meio do palco deste filme estão três jovens – Jodie, Eva e Maureen – que procuram o sucesso e a fama na prestigiada Academia Americana de Ballet… e depressa aprendem que a dança está cheia de obstáculos inesperados. Os movimentos, poses, posturas e trabalho de pés extraordinário é uma lufada de ar fresco que vai deixar todos a desejar terem dançado pelo mesmo caminho artístico. Acima de tudo, esta história mostra que a dança tem de ser um prazer e não um dever… aliás é mesmo assim que a imaginamos, não é?

7. Save the Last Dance – “Ao Ritmo do Hip-Hop” (2001)

save-the-last-danceDepois da morte da mãe, Sara (Julia Stiles) vê-se obrigada a ir viver com o pai. Consumida pelos remorsos – a mãe morreu num acidente de viação a caminho de um dos seus espetáculos de dança – a bailarina arruma os seus sapatos… até conhecer Derek (Sean Patrick Thomas), um jovem apaixonado pelo hip-hop e pela vida. Com uma química inquestionável entre ambos, só podiam mesmo entregar-se ao ritmo do hip-hop e não só. Apesar de ser um romance juvenil, a qualidade da dança neste filme é extraordinária…

8. Shall We Dance – Vamos Dançar? (2004)

shall-we-danceJohn Clark (Richard Gere) é um homem que tem tudo, incluindo a felicidade, mas na viagem diária entre o trabalho e a casa, cruza olhares com uma bela mulher num estúdio de dança, o que o leva a inscrever-se no mesmo. A linda Paulina (Jennifer Lopez) que acaba por ser a sua instrutora. John depressa percebe que o que lhe faltava na vida não era um affair, mas sim uma nova paixão… a paixão pela dança. Obcecado com o seu novo hobby, John trava uma amizade sincera com Paulina e começa a treinar para uma importante competição… sempre às escondidas dos familiares e amigos. Claro que a sua mulher Beverly (Susan Sarandon) rapidamente percebe o estranho comportamento do seu marido… será que ela vai aprovar os passos que o marido tem andado a dar?

9. Mad Hot Ballroom (2005)

mad-hot-ballroomQualquer pessoa – nova ou velha, homem ou mulher – pode aprender a dançar: é essa a valiosa e divertida lição deste documentário que registra como um grupo de crianças de 11 anos, provenientes de três escolas públicas de Nova Iorque, aprenderam a dançar em muito pouco tempo. Inicialmente relutantes em entregarem-se ao tango e ao swing,  vê-los transformarem-se em damas e cavaleiros para se apresentarem, com pompa e circunstância, no campeonato final da cidade. De fazer abrir bem os olhos e deixar muitas bocas abertas, talvez esteja aqui a motivação que lhe falta…

10. Step Up (2006)

step-upO acaso junta Tyler Gage, um adolescente rebelde a cumprir serviço comunitário e Nora Clark, uma bailarina de ballet de enorme talento. Ele precisa de encontrar o seu rumo na vida, ela precisa de um parceiro, para convencer, de uma vez por todas, o mundo da dança. Será que a pista os consegue juntar? Realizado por Anne Fletcher e protagonizado por Channing Tatum, Jenna Dewan, Domaine Radcliff, De’shawn Washington, Drew Sidora, Rachael Griffiths, mais de hora e meia de bons ritmos, algum romance e uma cena numa discoteca que não pode perder…

Não perca mais tempo e venha aprender a dançar aqui na Dance Sempre!

Texto publicado originalmente em: http://passobase.com/artigos/top-10-filmes-sobre-danca

Dança dos Noivos

A primeira dança do casal é um momento marcante da festa. Pra ficar ainda melhor, que tal fazer umas aulas de dança aqui na Dance sempre e surpreender?

Músicas bem escolhidas, aliadas a belas coreografias, atraem a atenção dos convidados e causam admiração em quem assiste.

Mesmo que a opção seja a tradicional valsa dos noivos, o ensaios farão com que vocês se soltem e dancem de uma forma mais bonita e elegante, sem precisar ficar só no “dois pra lá e dois pra cá”.

DANÇA-DOS-NOIVOS

8 dicas para arrasar na primeira dança

1- Escolham a música com bastante antecedência para que tenham tempo de ensaiar.

2- Entrem em contato com a Dance Sempre para agendar as aulas, que podem ser no dia e horário que vocês quiserem.

3- Deixem a timidez de lado e se soltem para surpreender ainda mais os espectadores, porém se vocês são muito tímidos  evitem performances muito exageradas e escolham uma música bonita com passos simples.

4- Ao escolher uma música e elaborar a coreografia, vejam se os passos são possíveis de serem executados com o modelo do vestido escolhido ou se é possível uma troca de vestido.

5- Permita que o professor oriente vocês sobre o que fazer de acordo com o preparo físico de cada um.

6- Evitem comentar com os amigos e parentes sobre a música escolhida, a surpresa será ainda melhor.

7- Oriente a cerimonialista para que não deixem as crianças invadirem a pista na hora da entrada de vocês, crianças dançando são bonitinhas e sempre roubam a cena.

8- Mesmo que algum passo saia errado na hora, mantenham uma postura confiante e continuem dançando como se nada tivessem acontecido, afinal ninguém, além de vocês saberá que algum passo saiu errado. Aqui na Dance Sempre editamos a música que o casal desejar, até que ela fique perfeita ao gosto de vocês, sem nenhum custo adicional!

Sugestões de música para a dança dos noivos:

Tendências:

Ed Sheeran – Thinking Out Loud

Christina Perri – A Thousand Years

Valsas tradicionais

Danúbio azul – Johann Strauss

Valsa do imperador – Johann Strauss

Contos dos Bosques de Viena – Johann Strauss

Tangos

Por una Cabeza – Carlos Gardel

El tango de Roxanne

Encanto Rojo – Fabio Hager

Valsa Maluca

Boleros:

She will be loved – Maroon 5

Besame Mucho – Consuelo Velasquez

Você é linda – Caetano Veloso

Para mais sugestões entre em contato com a gente! Telefone: 41 30762122 Whatsapp: 4198865633 [email protected]  |  www.dancesempre.com

10 motivos para você aprender dança de salão

Dança de salão Ser saudável envolve vários fatores, os principais deles são alimentação balanceada e exercício físico. Para os que não gostam muito dos exercícios tradicionais das academias, mas querem praticar alguma atividade, uma opção é a dança de salão. Antes que você se imagine dançando no “Baile da Saudade” com o seu avô, saiba que a prática está ganhando espaço e conquistando gente de todas as idades. Os ritmos da dança de salão vão desde os clássicos tango e bolero, até os latinos samba, salsa, zouk e os “badalados” forró e sertanejo. Existem inúmeros motivos para aprender dança de salão, confira 10 motivos para você se matricular em uma aula de dança de salão ainda hoje:

1. Dançar faz bem para a saúde: aumenta a frequência cardíaca, estimula a circulação do sangue e melhora a capacidade respiratória;

2. Além das aulas, a dança de salão é uma atividade a dois: aumente seu círculo de amizades;

3. Acolhe todo mundo: não existe restrição de idade, sexo ou tipo de corpo;

4. Autoconhecimento: você passa a conhecer melhor seu corpo quando dança;

5. Emagrece! Uma aula de dança de salão pode queimar até 700 calorias;

6. Depois de um dia estressante de trabalho, dançar relaxa;

7. Aumenta a autoestima: quando você dança, mais pessoas olham para você; 8. Vence timidez e ganha mais confiança;

9. Trabalha a postura, a agilidade e a coordenação motora;

10. Dançar aumenta a qualidade de vida e te faz mais feliz. Experimente!

Então não perca mais tempo e venha pra Dance Sempre!